Continuar Comprando

Complete sua compra:
Hidratante labial vegano com rosas e esqualano R$89
ESPÁTULA DE BAMBU BIOSSANCE R$25

Albinismo: o que é e quais são os cuidados que se deve ter com a pele

23 dezembro, 2021

Albinismo: o que é e quais são os cuidados que se deve ter com a pele

Já se perguntou sobre o que é albinismo? A gente explica! Essa condição nada mais é do que uma desordem genética que afeta diretamente a produção de melanina (pigmento que dá cor a olhos, cabelos e pele). Por causa disso, é comum que pessoas albinas tenham maior sensibilidade ao sol.

Existem alguns tipos de albinismo; o mais conhecido é o oculocutâneo. Aqui, há alterações na cor dos cabelos, da pele e dos olhos. Em alguns casos, também se verifica a ausência completa do pigmento, deixando o corpo e os fios brancos e os olhos vermelhos. Interessou-se pelo assunto? Veja mais informações abaixo!

Definição de albinismo

Antes de mais nada, o que é albinismo? Como mencionamos brevemente, essa condição é uma desordem genética — ou seja, ocorre desde o nascimento — que afeta a produção de melanina. Esse fator faz com que haja alterações consideráveis na tonalidade da pele, dos cabelos e dos olhos.

Além de ser responsável pela pigmentação, a melanina protege o nosso organismo contra a radiação solar. Dessa forma, devido à ausência ou à redução dessa proteína, a pessoa albina tem maior risco de desenvolver doenças, como queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele.

Principais tipos de albinismo

O albinismo é uma doença que pode se apresentar de diferentes formas. Por isso, é importante entender quais são elas e as características de cada uma. Abaixo separamos alguns sinais para observar!

Albinismo oculocutâneo

Considerado o tipo mais comum da doença, ele apresenta herança autossômica recessiva. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, existem sete genes envolvidos nessa condição, e em cada um deles podem acontecer diferentes mutações, determinando variadas versões clínicas. 

Há casos em que o indivíduo possui ausência total de melanina, o que faz a pessoa com albinismo possuir cabelos brancos e alterações oculares. Por outro lado, há quem tenha uma deficiência parcial na produção desse pigmento, o que significa que apresenta algum grau, mesmo que pequeno, de pigmentação. 

Albinismo ocular

O albinismo ocular é uma doença rara com um padrão de herança inerente ao cromossomo X, surgindo com maior frequência em homens. Nesse tipo, os olhos são os mais afetados, e o indivíduo apresenta pele e cabelos em coloração normal ou o mais próximo disso. 

albinismo

Pessoas com essa condição costumam ter maior sensibilidade à luz, movimentos involuntários nos olhos e pouco ou nenhum pigmento na íris. A mesma situação ocorre na hipoplasia foveal, quando a área central da retina não se desenvolve da forma correta, propiciando baixa capacidade de percepção visual.

Síndrome Hermansky-Pudlak

Essa síndrome é caracterizada por diátese hemorrágica (um sangramento intenso pós-traumático ou sem razão alguma), oculocutâneo, imunodeficiência, colite granulomatosa e fibrose pulmonar.

A síndrome é um distúrbio de origem autossômica recessiva Uma curiosidade interessante é o fato de que ela apresenta maior incidência em Porto Rico, uma ilha caribenha perto dos Estados Unidos.

Síndrome de Chediak-Higashi

Essa síndrome é uma herança autossômica recessiva muito rara com influência parcial oculocutânea. Em razão disso, os sintomas do albinismo são maiores chances de desenvolvimento de infecções e presença de inclusões em leucócitos no sangue e em grande parte das células. 

Tratamento para albinismo

Essa doença é uma desordem genética para a qual, até o momento, não existe tratamento. Mas isso não significa que o paciente está livre de consultas médicas regulares, pelo contrário; é muito importante fazer um acompanhamento regular com o dermatologista.

Como a redução ou a ausência de melanina interfere diretamente na proteção do corpo contra os raios solares, é fundamental que o albino tenha maiores cuidados. Evitar a exposição solar e sempre usar o protetor solar, esteja em casa ou não, é um hábito que não pode faltar na rotina. 

Usar roupas que cubram bem o corpo e acessórios como óculos escuros e chapéus também são recomendados, especialmente no verão. Além disso, como a produção de vitamina D é diferente em quem apresenta esse quadro, é comum que o tratamento do albinismo seja a suplementação de vitamina D.

Como a doença também provoca o comprometimento ocular, talvez seja necessária a adoção de outros cuidados, como o uso de óculos com proteção para raios UV no dia a dia. O oftalmologista irá ajudar nisso, indicando as melhores condutas. 

Albinismo tem cura?

Por se tratar de uma questão genética, não há cura, e os tratamentos podem ser bem limitados. A dica para quem tem a condição é investir em cuidados com a pele, especialmente em relação à exposição solar, que ajudem a evitar outros tipos de doenças, como os que mencionamos acima.

Acompanhe as novidades do blog da Biossance!

Depois de descobrir tudo sobre o albinismo, que tal dar uma olhadinha nos demais conteúdos disponíveis aqui, no nosso blog? São diversos artigos que ajudam a entender melhor os dilemas da pele, além de aprender a lidar com cada um deles. Veja as nossas novidades e fique por dentro de tudo!

×