Continuar Comprando

Complete sua compra:
Hidratante labial vegano com rosas e esqualano R$89
Saquinho de Linho Tamanho M R$29

Dermatite de contato: o que é, quais são os principais sintomas e como tratar

02 dezembro, 2021

Dermatite de contato: o que é, quais são os principais sintomas e como tratar

Bolhas, coceira, inchaço e vermelhidão são sintomas comuns quando o assunto é irritação da pele. Um dos motivos para o surgimento deles é a dermatite de contato, uma reação inflamatória que pode ocorrer no local do contato, a distância ou até em todo o corpo. 

Em geral, quando a pele é exposta a um agente externo pode acabar desenvolvendo a dermatite de contato irritativa ou alérgica. Essas irritações são causadas por diversos produtos que entram em contato com a nossa  pele, como: produtos de limpeza, cosméticos, metais, borracha e até alguns tipos de plantas!

Afinal, o que é dermatite de contato?

Também conhecida como “eczema de contato”, a dermatite de contato é uma doença cutânea — que, como o próprio nome diz, é provocada pelo contato da pele com uma substância capaz de causar irritação. Normalmente ela se manifesta de duas formas: irritativa e alérgica. Confira mais detalhes abaixo!

Dermatite de contato irritativa (DCI)

Esse caso acontece quando o ativo causador da doença é um agente irritativo, como ácidos, sabonetes e ativos químicos. Eles atingem a superfície da pele e danificam as células, que como consequência liberam substâncias que geram vermelhidão, descamação e coceira.

Dermatite de contato alérgica (DCA)

De acordo com a Dra. Vanessa Ottoboni, dermatologista, a DCA ocorre quando a pele entra em contato com substâncias alergênicas mais de uma vez. “Trata-se de uma reação imunológica que libera uma grande cascata de substâncias inflamatórias”. 


“Após 24 a 48h do contato, as lesões surgem na pele, podendo aparecer no mesmo local ou a distância. A pele pode apresentar vermelhidão, descamação e até bolhas e em geral coça muito”, explica.

Quais são os sintomas da dermatite de contato?

Os sintomas de dermatite de contato podem variar bastante, indo de lesões vermelhas capazes de causar coceira de leve, ardor e queimação até algum desconforto maior no local. Algumas vezes, podem aparecer um leve inchaço e até mesmo bolhas. 

Dependendo do tempo e da intensidade da dermatite de contato, o paciente pode desenvolver aspereza e formação de crostas na região atingida. Por esse motivo, é muito importante procurar a ajuda de um dermatologista assim que os sintomas começarem a surgir. 

Em quem a dermatite de contato é mais comum?

Existem pessoas mais propensas a esse tipo de condição? Sim! Em geral, está mais exposto a essa doença quem trabalha com substâncias como borrachas, metais e agentes químicos, como é o caso de cabeleireiros, auxiliares de limpeza, pedreiros, etc.

Pessoas com outras patologias relacionadas ao sistema imunológico, como rinite, asma e outros têm altas chances de apresentar esse tipo de dermatite, assim como quem usa muitos produtos desenvolvidos com ativos sintéticos e mais alergênicos. 

Pacientes com alteração na barreira lipídica, como é o caso da rosácea e da pele muito ressecada, também precisam ficar atentos, pois a pele tende a ficar irritada com mais facilidade. 

dermatite de contato

Entendido isso, a dúvida que fica é: dermatite de contato é contagiosa? A resposta é: não. Como explicamos anteriormente, ela é caracterizada pelo contato com produtos e cosméticos que tenham substâncias irritativas e alergênicas na fórmula. Sendo assim, ela não passa pelo contato entre pessoas distintas. 

Como prevenir a dermatite de contato?

Antes de mais nada, o recomendado é identificar o possível agente ou substância causadora da alergia. Assim, é possível ter mais consciência sobre o que evitar na hora de adquirir um novo cosmético. Essa descoberta pode ser feita com bastante observação e ajuda de um dermatologista.

“O Patch Test ou Teste de contato é um exame que avalia 30 substâncias ou mais, inclusive as presentes em cosméticos, e nos ajuda a identificar de forma mais específica as possíveis substâncias causadoras da alergia”, diz a especialista. 

Além disso, existem algumas maneiras de amenizar as chances do surgimento dessa doença; um exemplo é dar preferência a produtos hipoalergênicos. Em ambientes profissionais, outra recomendação importante é contar com equipamentos de proteção adequados, como luvas, botas e óculos.

Manter a pele sempre hidratada é mais um meio para a prevenção e o tratamento para dermatite de contato. Isso, porque a hidratação mantém a integridade da barreira protetora da pele, diminuindo a possibilidade de alergia e outras irritações.

Qual é a melhor forma de tratar essa dermatite?

Afinal, dermatite de contato tem cura? Não há cura, porém com alguns cuidados e o uso de medicações é possível controlar a doença. Existem diversas variáveis no tratamento, dependendo da extensão e da intensidade do quadro.


A primeira medida para evitar irritações mais graves é romper o uso do produto ou cosmético que tenha desencadeado a irritação. Se as lesões forem localizadas, cremes tópicos, loções e imunomoduladores podem solucionar a crise aguda. O medicamento para dermatite de contato é indicado por um dermatologista.

Lavar o local com sabonetes que não agridam a pele é fundamental, portanto atente-se à escolha dos produtos. Também é importante evitar a exposição solar no período de crise, já que a radiação pode acabar agravando o quadro. 

Saiba mais sobre os dilemas da pele com a Biossance!

Está com alguma dúvida em relação às particularidades e condições da pele? Agora que você já sabe tudo sobre dermatite de contato, confira os demais conteúdos disponíveis aqui, no blog da Biossance. Estamos sempre em busca de informações confiáveis que ajudem você a ter uma pele muito mais bonita e saudável!


×